democracia e dívida

Quadros de Miró como exemplo de retorno à legitimidade

In Noticias on 04/02/2014 at 6:38 pm

A Christie’s recusou a venda das obras de arte levadas ilegalmente para fora de Portugal (i.e., roubadas).

Um belo exemplo de como a instabilidade (no caso, o alarido internacional sobre eventuais problemas judiciais) permitiu fazer recuar uma ilegitimidade (e no caso, ilegalidade).

O salvamento das obras de Miró deixa um travo amargo na boca. Repare-se que não foi a constestação pública, os media, ou a providência cautelar a impedir a venda dos quadros. Foi a leiloeira que parou o processo devido à sua desvalorização. Isto é algo que deveria causar profunda reflexão em ano de 40 anos de Democracia.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: